Pages

Banner 468 x 60px

 

quinta-feira, 2 de dezembro de 2010

Evento discute combate à homofobia em Irecê

6 comentários

Professores, estudantes, comunidade em geral e representantes do poder público, estiveram reunidos no último sábado (27), discutindo questões relativas ao público LGBT (Lésbicas, Gays, Bissexuais e Transgêneros). O CAA foi uma das entidades presentes no debate.

01/12/2010 | 04:19

Fotos: Pascoal Ferreira

CAA NOTÍCIAS

Comunidade LGBT de Irecê está mobilizada para discutir políticas públicas de combate à discriminação


Realizado no último dia 27, o I Seminário Irecê sem Homofobia, movimentou o município, a 474 km de Salvador.  O público foi formado por gays, lésbicas, travestis, além de representantes do poder público e de entidades da sociedade civil, como o Centro de Assessoria do Assuruá (CAA). O evento teve participação de professores, estudantes, comunidade em geral, além do poder público, a exemplo do prefeito local, José das Virgens (PT). A atividade foi organizada pela Coordenação Municipal de Apoio à Política de Gênero (CAPG).

O diretor geral da Associação Beco das Cores e do Fórum Baiano LGBT, Wesley Francisco, ministrou a palestra “O movimento LGBT e a luta contra a homofobia”, abordando eixos como sexualidade, gênero, identidade de gênero e orientação sexual. Na ocasião, relatou a luta do movimento pela conquista de direitos e lembrou alguns casos emblemáticos de agressão a homossexuais no país.

Fabiano José da Silva, 35 anos, é travesti e trabalha como gari em Irecê. No evento, “Rosinha”, como é mais conhecido, relatou o preconceito que enfrenta diariamente. “É humilhante, são poucas as pessoas que me respeitam. Mas eu enfrento tudo com a cabeça erguida, pois vivo pra mim e não para os outros”, disse.

Homofobia - A militante Taise Torres, lamentou os constantes casos de agressão no município. “São inúmeras as queixas sobre preconceito, que acontece principalmente em mesas de bares. A comunidade gay precisa ter liberdade e ser respeitada em qualquer ambiente”, protesta. Ainda segundo Torres, a homofobia no mercado de trabalho tem deixado muitos jovens desempregados. “Empresas homofóbicas não merecem credibilidade”, enfatiza, sugerindo a criação de um grupo gay para defender os interesses da classe.

Durante o evento, algumas políticas públicas em favor da comunidade LGBT foram lembradas, a exemplo do Programa de Combate à Violência e à Discriminação, lançado em 2004, pelo governo federal. Outro destaque foi o Projeto de Lei, de autoria do deputado estadual Valmir Assunção (PT), que pode tornar a Bahia o primeiro estado no Brasil a assegurar para travestis e transexuais o direito à identificação por meio do nome social na prestação de serviços da administração estadual, e também por pessoa jurídica de direito privado.

6 comentários:

JOEFERSON disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
JOEFERSON disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Anônimo disse...

Tenho Plena Certeza que a Associação LGBT de Irecê não se passa de Plenas Politicagem pelos ministrantes,ela não atende toda região de Irecê e não organiza eventos a benefícios de Todos,Exemplifico Uma Parada Gay Pelos Direitos Dos Cidadães da Região de Irecê.
Nota-se que O direitorio Da equipe está mais preocupado com a campanha dos Candidatos que o apoia de que com o própio público Gay,que só presta na hora de Vota ou Nas Reuniões do Própio Cactus.
Uma política se faz com a União de Todos "região",Não apenas a Politicagem de Uma panelinha "Trio".Marido,esposo e amigo.

JOEFERSON disse...

Super Legal....Parabéns Toda a Direção,No Meu ponto de Vista abangeu a Todos Sim.

Marcos disse...

Concordo com O Anônimo

Marcos disse...

PRA MIM É TUDO PUTARIA E VIADAGEM DE POLÍTICA

Postar um comentário