Pages

Banner 468 x 60px

 

sexta-feira, 5 de agosto de 2011

Nem toda a Câmara é igual à de São Paulo...

1 comentários
Vereadores acusam pastor Silas Malafaia de homofóbico e adiam concessão de título na Câmara de São Luís


O clima esquentou hoje pela manhã, no plenário da Câmara Municipal São Luís, por conta do projeto de Decreto Legislativo (010), de iniciativa da vereadora Rose Sales (PCdoB, na foto ao lado), que concede Título de Cidadão de São Luís ao pastor Silas Malafaia.

A matéria constava na pauta da Casa, para ser votada nesta terça-feira (02), porém o líder do governo municipal, vereador Ivaldo Rodrigues (PDT, na abaixo), pediu vista do projeto por 72 horas, sob o argumento de melhor analisar a proposição.
Na oportunidade, Ivaldo Rodrigues disse que a concessão desse título ao pastor Silas Malafaia é um total desrespeito à dignidade humana, já que o evangélico tem discriminado a condição sexual dos grupos de homossexuais em suas pregações midiáticas, sendo hoje uma persona non grata entre a comunidade gay em todo o Brasil.

“Além disso, pedi vista do projeto, pois a matéria tem que ter um ponto de vista técnico, assim como constar um currículo da pessoa. Não tem sequer uma informação dessa cabível, colocada à disposição dos vereadores. Portanto, não tem nenhuma justificativa para se dar um título de Cidadão de São Luís  ao pastor Silas Malafaia”, criticou.

Ivaldo Rodrigues disse que a vereadora Rose Sales quer com essa proposição ganhar holofotes na mídia. A parlamentar rebateu dizendo que trabalha dia a dia para não precisar de artimanhas que induzam a holofotes. “O senhor não tem uma bandeira de trabalho nesta Casa, vereador, e em cima do meu nome você quer ganhar dimensão e cartaz. Não aceito que esse trabalho seja nivelado por holofotes”, esbravejou.

Rose Sales justificou a concessão do título ao pastor Silas Malafaia dizendo que é serva do senhor e que até (Jesus) Cristo livrou uma prostituta (Maria Madalena) de ser apedrejada. Ela destacou que o evangélico Silas Malafaia não é homofóbico. Logo em seguida, foi bastante vaiada pela galeria da Casa que estava repleta de representantes de grupos homossexuais (gays, lésbicas e transexuais) empunhando a bandeira multicolorida do movimento. O presidente da Casa, Isaías Pereirinha (PSL), teve que pedir calma aos manifestantes para garantir a palavra da vereadora comunista.

O vereador Chico Viana (PSDB) também se posicionou contra a concessão do título ao evangélico, pela condição de discriminação à condição sexual da pessoa humana, sempre manifestada pelo pastor Silas Malafaia.

Ele lembrou que recentemente foi aprovado na Cãmara Municipal, um projeto de lei, de sua autoria que impede a discriminação sexual nas instituições públicas e privadas do município de São Luís. “Acho que considerar o homossexual como ser abjeto, como um grande pecador, que nunca vai receber o perdão de Cristo, não é normal”, ressaltou.

O vereador Francisco Carvalho (PSL) também se posicionou contra o título ao pastor Silas Malafaia, sob o argumento de ser contra a concessão dessa comenda a quem não seja maranhense e quem nunca tenha prestado serviços relevantes ao povo de São Luís.

“Quero dizer que já votei contra um projeto de lei, de iniciativa do vereador Chico Viana, ao conceder título ao ex-ministro da Saúde, José Serra (PSDB), assim como tomei uma posição de votar contra qualquer título de cidadão à pessoas que moram lá fora e que vêm pra cá receber título de cidadão”, frisou Francisco Carvalho.

O projeto de Decreto Legislativo deve voltar para apreciação e votação em plenário, na próxima semana. Os grupos de homossexuais prometem voltar ao Legislativo para se manifestar contra a iniciativa da vereadora Rose Sales.

Fonte: Blog de Mario Carvalho

1 comentários:

Fabinho disse...

Ainda tem gente séria e humana no poder desse país... Parabéns à Camara de São Luís pelo posicionamento ante esse descabimento da Sra. Rose Sales.

Postar um comentário