Pages

Banner 468 x 60px

 

quinta-feira, 29 de setembro de 2011

Maioria dos soteropolitanos aprova união civil homossexual, aponta pesquisa do Correio da Bahia

1 comentários
O maior índice de aprovação à decisão dos ministros do STF foi detectado entre os moradores do Cabula, onde 65,7% dos entrevistados se disse favorável
 
Nas perguntas sobre homofobia, 37,3% dos entrevistados afirmaram ser a favor da relação entre pessoas do mesmo sexo, 26,3% são contra e 36,1% indiferentes. Entretanto, 54,6 % disseram apoiar a decisão do Supremo Tribunal Federal (STF) de reconhecer os mesmos direitos dos casais heteros para casais gays. Um total de 38,8% disse que é contra a decisão. Mas somente 34,8% das pessoas acreditam que o preconceito diminua após o reconhecimento do STF, enquanto 42,9% acham que nada vai mudar e 20,1% dizem que o preconceito vai aumentar.
 
O maior índice de aprovação à decisão dos ministros foi detectado entre os moradores do Cabula, onde 65,7% dos entrevistados se disse favorável.

Em segundo lugar aparece o Rio Vermelho, com 64,4%, e depois Brotas (63,5%). A região que menos aceita a união civil homossexual é a de Itapagipe, com 52,5% de rejeição. O levantamento mostra também que 47,3% dos entrevistados aprovam que casais gays adotem crianças, seguidos de 41,3% que são contra e 10,3% indiferentes. 

Pesquisa sobre infidelidade
Topa fazer um acordo de sinceridade? Topa? Então vamos lá: você já traiu? Se a resposta for positiva, você está entre os 42,8% dos moradores de Salvador que admitem ter pulado a cerca. Ah, quer dizer que você nunca deu um virote sequer? Parabéns, isto é o que garante 56,7% da população da capital baiana.

Estes números foram apontados na pesquisa sobre Traição e Homofobia realizada entre 30 de agosto e  3 de setembro pelo instituto Futura, parceiro do CORREIO.

No levantamento feito com 601 pessoas, chama a atenção que enquanto 56,7% dos entrevistados asseguram a fidelidade inabalável, 57,2% dizem que já foram traídos. Ou seja, temos mais chifrudos que “chifrantes”, o que já provoca, no mínimo, uma pontiaguda curiosidade. 

Vizinhança perigosa
Se você mora com seu parceiro ou parceira no Rio Vermelho ou, mais perigoso, se vocês não moram juntos e a pessoa amada vive no bairro, é bom saber em que bar ela anda. 

Foi no reduto da boemia de Salvador que a pesquisa registrou o maior índice de sinceridade: 55,6% dos moradores afirmam que já traíram. 

A Liberdade vem em segundo, com 49%, seguido de perto pelo Cabula (48,6%). Para os que pretendem manter o juramento de ser fiel até a morte, a dica é arranjar um cantinho na Boca do Rio, onde 68% dos entrevistados atestam que jamais deram um “ninja”. 

Por outro lado, a região da Barra abriga o maior índice de cornos com conhecimento de causa. Ali, 78,9% das pessoas afirmaram já terem sido traídas. Depois vem o Subúrbio (68,4%) e Cajazeiras (66,7). Apesar do tamanho de Brotas e da grande quantidade de pessoas que circula pela área diariamente, quem mora no bairro ainda tem muita fé nos parceiros.

Ao todo, 53,8% dos moradores disseram que nunca levaram “um perdido” - a maior demonstração de autoconfiança da pesquisa. 

Dentre todos os recortes para a pergunta “O(A) Sr.(a) já traiu?”, o que mais dá margem à discussão é o de idade. No grupo de 20 a 29 anos, 49,2% disseram que não. O percentual chega a 60,5% no grupo de  40 a 49 anos e oscila para 57,7% na faixa de 50 a 59. 

Fonte: Correio 24 horas

1 comentários:

Fabinho disse...

Muito boa a pesquisa acerca da aceitação da população de Salvador quanto às relações homoafetivas. Apesar de a Bahia ser a campeã nacional em ataques homofóbicos violentos, vemos que isso não é aceito pela maioria.

E espero com toda a fé que essa minoria idiota desapareça logo, ou pelo menos tome vergonha na cara e deixe de querer mandar na vida dos outros.

Postar um comentário