Pages

Banner 468 x 60px

 

domingo, 12 de agosto de 2012

Dois Terços inicia série de entrevistas com candidatos LGBT a vereador em Salvador. Veja a entrevista com Vida Bruno

2 comentários
DOIS TERÇOS

Uma das ativistas mais conhecidas pela luta em defesa da comunidade de Lésbicas, Gays, Bissexuais e Transexuais (LGBT) em Salvador, Vida Bruno (na foto, com Luiz Mott) é a primeira entrevistada de uma série de entrevistas que o site Dois terços irá promover, durante a campanha eleitoral, com candidatos voltados à causa gay. 

Graduada em História pela Universidade Católica do Salvador (Ucsal), Vida é doutoranda em Ciências Políticas pelo programa Eiffel, da França, tendo se destacado pela colaboração em pesquisas no ambiente acadêmico.

Vida Bruno tem ainda atuação comunitária, como coordenadora do Centro de Referência Formação em Cidadania, no bairro de Pau da Lima, em Salvador, e conta nesta entrevista sua história de vida e o que a levou a concorrer à uma vaga na Câmara Municipal da capital baiana.

Como nasceu o desejo de se candidatar?
A nossa candidatura foi mesmo uma provocação social! Dos diversos agrupamentos  dos movimento sociais soteropolitanos e baianos, de modo que ela está alicerçada pelo movimento LGBT, através do nosso histórico de luta e no momento de sua concepção vários outros seguimentos sociais coirmãos foram inserindo suas pautas e hoje, nossa candidatura representa também  o debate das  mulheres do Mov. negro do povo da periferia, e do povo de santo! O objetivo maior desta junção e trabalhar na perspectiva de uma candidatura de inclusão social, em defesa da Diversidade e do respeito, pelo fim da intolerância e todas as suas nuance.   Quando se há um chamamento desta natureza  eu  me sinto lisonjeada por ter sido convocada para está missão pelos lide res locais que representam os diversos seguimentos dos movimentos sociais em Salvador, as lideranças demonstraram interesse em ter uma representante que tivesse surgido do seio  da comunidade, e que demonstrasse lealde as causas dos direitos LGBT e direitos  humana, e que tivesse em seu histórico de vida o compromisso com projetos e demandas por  mais politicas publicas para o nosso povo. Politicas estas que são encaminhadas pelos movimentos sociais e que em função da ausência de lealdade comprometimento, de alguns que se perpetuam em mandatos através dos discursos e não pratica… Estão completamente emperradas obstruídas pela falta de compromisso social de alguns que ali estão para representa-los na esfera do executivo e, no entanto esqueceram-se de suas origens.  Estou tendo total apoio candidatura “E só aceitei por saber que a decisão dos movimentos sociais É definitiva! Em ter candidatura própria que pudesse ser porta voz das demandas do p ovo. Topei o desafio e vamos até a Vitória.”, pois o que nos move não é a necessidade de títulos ou do poder. Eu costumo dizer que o povo  paga seus tributos e que um vereador é um funcionário do povo. Por tanto quem tem um mandato pode ocasionar uma revolução. E está revolução não poderá ter a perspectiva de nadar contra a maré, mas sim na direção do que é correto! Ouvir a necessidade deste povo sofrido e alijado de processo de construção da nossa sociedade. Os movimentos sociais, sobretudo o LGBT precisam de uma representante que seja porta voz de suas necessidades representar a Salvador uma cidade tão cheia de contrastes sociais não é apenas ser votado! Mas acima de tudo vestir a camisa da igualde, da pluralidade, diversidade, e respeito ao povo é receber um abraço sincero, ter o carinho da população, as pessoas te parando nas ruas para elogiar  nossa candidatura. Estou muito feliz por ter sido a escolhida e me sinto muito bem ac olhida por todos que estão ao meu redor, acreditando que esta a partir aliança uníssona teremos uma Cidade de Verdade e sem Medos, No peito e na Raça!
 
Qual a importância de um representante LGBT no legislativo municipal?
 É muito  importante, pois  população precisa de uma voz   que a represente  e  que tenha coragem de lutar  pela comunidade sem rabo preso! O que o povo espera, dos representantes da câmara e que esse ele  exerça o seu papel de dar garantias de retorno do investimento que o cidadão faz… Através do pagamento dos  tributos municipais e  a   diversidade sexual, não vem sendo tratada com  pautas municipais com suas especificidades  de forma  que contemple a nossa população! O tema atualmente é tratado com desprezo! E Precisamos virar a mesa reunir esforços de uma forma cidadã e humana, para que Salvador seja reconhecida mundialmente como  a cidade onde a  população LGBT, tem mais qualidade de vida. Uma Salvador  com 0% de Homofobi a e 0% de intolerância,0% de Preconceitos e 100% Inclusão social com politicas publicas que garantam a  inserção do nosso povo a muito alijado do processo de desenvolvimento para inaugurarmos um novo tempo, onde as pessoas possam ser livres exercer a sua sexualidade e ter direitos cidadãos  garantidos em um novo contexto da cidade.. Sou municipalista de carteirinha e regionalista de coração, afirmo que o macro desenvolvimento em qualquer núcleo receptor, terá mais corpo se alicerçado no conjunto das forças vivas, como: legislativo, executivo, associações, entidades, sindicatos, empresariado faculdades e ou universidades, ONG’s, empreendedores, entre outros e em sintonia com organismos municipais, estaduais, federal e internacional. Somar esforços é o melhor caminho para encurtar as decisões, obter consenso e maximizar resultados.  Estamos indo rumo a  Câmara Municipal, programar, disciplinar, e criar politicas publicas de inclusão sem pre tendo em consideração a preservação e a facilitação, buscando nessa harmonia, criar as condições do desenvolvimento sustentável a curto e  longo prazo, ou seja – preservar, garantir  que o futuro do  povo LGBT possa  ser melhor sempre.

Você traz uma experiência muito grande na militância LGBT baiana. O que você pensar em trazer dessa vivência para câmara?
Vamos trazer o nosso acumulo e expertises  política proveniente de nossas  bases e de nossas vivencias já conhecemos a demanda do povo, pois dele fazemos parte, e  neste processo, é primordial romper com a barreira dos preconceitos machistas e discriminatórios que são históricos em nossa Salvador! Trazer de nossa militância a  perseverança  a obstinação que se torna um exercício em nossa luta diária o que vem de  nossa combativa militância, que passou por todas a dificuldades que se possa imaginar, a experiência como líder estudantil no movimento  secundarista, ao movimento Universitário na Ucsal, onde por quatro mandatos no D.C.E/UCSAL ajudamos a  implantar a Bolsa/Ucsal  e a anistia de mais de 2.900 alunos com dividas  históricas com a universidade, dirigente do C.A de História  realizamos 02 edições do evento UCSAL fora do armário. E Junto a comunidade do bairro de Pau da lima  contribuímos com o debate  da criação do centro de formação de cidadãos, Junto  ao GGB, pensamos  na organização intervenção politica nas paradas Gays, desenvolver através destas experiências um mandato “Open door Process” um mandato de portas e coração abertos  para  conjuntamente pensamos discutirmos e materializarmos as ações que  representam o  melhor para nosso povo de Salvador.  O nosso mandato pretende não se encastelar nas dependência da câmara mais visitar a cidade e montar um  “Gabinete Andante” um mandato ele deve ser construído por varias mãos, e nós queremos materializar os sonhos, das pessoas os desejos que se tem de uma cidade Limpa,Justa,Plural, que dignifique e traduza o sentimento de pertencimento, a está cidade.  O papel do legislativo municipal é de suma importância, cabendo aos  eleitos viabilizarem ações; através de leis, buscando no governo estadual e ou federal e organismos internacionais, tudo que some  à Politicas Publicas para  “minorias” sociais infra-estrutura urbana, à melhoria da mão-de-obra, a preservação paisagística, monumental, cultural, urbanística, busquem convênios, acordos, financiamentos e que traga apoio ao desenvolvimento. Ação maior é a de abrir a Câmara Municipal, para de debates, fóruns, audiência pública, reuniões, interagindo legislativo e comunidade buscando traçar e elaborar os caminhos do consenso.

Quais são suas prioridades se for eleita vereadora em Salvador?
A nossa Agenda  prioritária sem duvidas será a dos Movimentos Sociais  o Mov. LGBT, Mulheres, Negros, e para avançar neste  debate escolhemos a Educação,
  • Nossa Prioridade e focar a educação pensar  em uma escola aberta diariamente  oferecendo muito mais do que a educação formal, para a nossa juventude, temos que pensar em uma educação com características da inclusão social com o exercício da  cidadania, onde as pessoas se reconheçam como iguais, em direitos e deveres, temos  que  inclinar os estudantes municipais,  ao fomento da arte da  cultura para desenvolver a sensibilidade e afetividade, incentivar a pratica do esporte na para a descoberta de novos talentos, e também discutir o mundo profissional.
  • A educação do Trabalhador não pode ser diferente da do Representante do legislativo. Filhos de Vereadores  tem que estudar nas escolas publicas só assim teremos a garantia de maiores investimentos. A escola publica tem que ser em tempo integral, Investir em educação pública de qualidade é investir na igualdade, e com este investimento reduziremos os índices de violência  na cidade.
  • A cidade é pública.  Precisamos focar a  importância de melhorar o atendimento  nos  postos de saúde, equipamentos públicos  como: As estações da Lapa, Pirajá, Mussurunga, a Ampliação do serviço de transporte publico, É urgente! Precisamos  reverter esse quadro, de abandono e descaso desfazendo as ilusões de que a iniciativa privada melhorará o atendimento.
  • Pelo IPTU progressivo. A melhor forma de se fazer justiça social é fazer quem tem mais pagar mais e quem tem menos pagar menos. O seu IPTU tem retornado para você ??? o quadro de visível abandono da cidade … mostra claramente a resposta não! É urgente mudar a face desta cidade. O IPTU  tem que voltar para o cidadão em forma de serviços públicos e de qualidade.
  • Pela estatização do transporte público na cidade de Salvador  não temos um transporte público eficiente  as em presas que prestam serviços de qualidade de modo que o valor cobrado nos  transportes urbanos  não condiz com os serviços prestados Falar em transporte público e de qualidade deixando o mercado controlar o setor é espalhar demagogia. Precisamos de melhores condições de Ir e vir  o transporte publico  na cidade tem que funcionar 24 horas, e tem que   haver  integração, temos os  trens em franco estado de abandono e desleixo, o metrô?? KD ele? 12 anos se passaram e nada. Sem deixar de lado o transporte alternativo, precisamos urgente da construção de  Ciclovias URGENTES para melhorar o trafego na cidade e sem falar que é mais saudável e mais barato!
  • A especulação imobiliária está degradando a cidade, As Elites  Agora cobiçam áreas verdes, agredindo o meio ambiente, sujando rios e aumentando a incidência de enchentes. A cidade precisa de um Plano Diretor democrático, como enfatizado no Estatuto das Cidades.
  • Gestão democrática do orçamento público. A população precisa saber e opinar sobre os impostos arrecadados, e onde estão sendo investidos, para que aja paridade em sua aplicação.
  • Cultura e informação cada vez mais correspondem a inclusão digital e ao uso de plataformas de livre acesso. Pela difusão da banda larga pública na cidade. Internet gratuita para todos, Pela Ampliação dos espaços de Lazer Gratuitos e com qualidade para a população.
  • Politicas de Inclusão e Proteção social. Aos seguimentos alijados do processo de evolução da Cidade  precisamos garantir as politicas publicas de inclusão social, pelo fim da intolerância discriminação e todas as suas mazelas precisamos combater os preconceitos, através de ações coletivas e pautando a defesa dos LGBT , Mulheres combatendo a violência e seus ranços, garantido uma vida mais saudável a Juventude das periferias  protegendo a  através de politicas municipais de combate  ao Genocídio social  população  negra, e Ações destinadas ao combate da Homofobia  para e proteção da comunidade LGBT, garantir  aos Idosos seus direitos cidadãos, e  pelo fim da intolerância religiosa.
Quero ser vereadora e da cidade de Salvador e trabalhar para garantir acesso a Saúde, Educação, Cultura e principalmente defender e garantir a Cidadania aos LGBTs. Quero colocar meu mandato a disposição das Organizações não Governamentais (ONGs) que atuam na defesa do gênero feminino e dos LGBTs. Vou lutar por campanhas de prevenção as doenças, incluindo a saúde do homem gay no âmbito do município. Implementarei um serviço de advocacia gratuita no nosso mandato, com o objetivo de acompanhar os casos de violência contra LGBTs carente, além de lutar para implementação de uma delegacia especial para crimes de cunho racistas e discriminatórios, luta essa história do GGB. Lutarei para revigorar e criar novos espaços de convivência para LGBT em geral e jovens em particular.

Eu vou fazer da nossa Cidade uma metrópole cheia de Vida, esperança e alegria para o povo LGBT. BASTA de homofobia, lésbofobia e transfobia. Vote VIDA, pela VIDA e pela alegria de viver e não ter vergonha de ser feliz. Ah! Eu sei que a VIDA LGBT poderá ser bem melhor e será com VIDA vereadora dos LGBT e de Salvador, Cidade mãe do Brasil. Se você tem orgulho de ser o que é vote 13.044! Vote VIDA! Poe uma VIDA inteira de felicidade e orgulho de sermos gente por inteiro e não pela metade!


Cite alguns projetos que você deseja levar à Câmara. Um vereador gay poderia ajudar na luta contra o preconceito? Como?
  • Campanha publica de incentivo ao  Retorno dos LGBT’S vitimas de Bullyng a Sala de aula, para em fim concluírem  a sua formação. Em especial a Travesti, buscar uma forma de incentiva-la a este retorno através de um auxílio transporte, para aumentar a motivação.
  • Criação do Centro de Formação de Cidadãos LGBT de Salvador! Um espaço social de convivência  com auxilio psicológico jurídico para o LGBT e para sua família  e que através de convênios  promoverá cursos para a aquisição de novos ofícios e profissões, os cursos serão Gás e Petróleo, Auxiliar de Enfermagem, Manutenção de Micro e Celular, Corte e Costura, Modelagem, Artes Plásticas, Cabelereiro, Aux. De Veterinária, Aux. de dentista, Tosador Jardinagem, Pedreiro, Marceneiro, dentre outros , os cursos serão ministrados de forma Gratuita
  • Projeto de  Lei municipal  como mecanismos para Proteger garantir e dar Visibilidade a questão Homoafetíva, Divulgando a Lei Municipal que criminaliza a Homofobia, para que ela esteja afixada em td ambiente publico seja ele repartição, autarquias ou comercio particular.
  • Preservação e Revitalização dos espaços históricos frequentados pelo publico LGBT’S : Beco dos Artistas,Carlos Gomes, Dois de Julho, Jardim de Alá, Praia dos Artistas
  • Estabelecer o Funcionamento do Observatório de Combate ao Racismo e Discriminação para que o mesmo funcione 24 horas, com serviço de auxílio jurídico psicológico, e social para os primeiros passos no combate a homofobia
  • Destinar Verba no orçamento municipal para apoiar  As organizações LGBT e sobretudo  fomentar a nossa   cultura. Vamos   criar um fundo de financiamento para os projetos de cultura, espetáculos que abordem a temática, shows com os artistas LGBT/Transformistas e afins, calendarizar no município as datas importantes para nossa comunidade, e  investir na Massificação das mesmas, apoiar e financiar os veículos de comunicação LGBT como sites,revistas,blogs,Jornais,fanzines, que tratem de nossas Pautas e temáticas apoiar campanhas nas redes sociais, socioeducativas para politizar o corpo social sobre os direitos civis e humanos ,  discutir a temática através do fundo de cultura na esfera federal para atrair mais investimento para a cultura em Salvador, Apoiar e promover debates seminários e colóquios, sobre os direitos LGBT
  • No Carnaval: Vamos Garantir recursos para que  a cada  dia, de carnaval tenhamos um trio comandado por  um expoente local ou nacional de nossa cultura LGBT, garantir segurança ostensiva e  especializada nos espaços historicamente frequentados pelo publico  LGBT durante o carnaval.
Você acredita que será eleita apenas com os votos dos LGBT’s?
Enquanto ativista já fiz parte de muitas outras lutas movimento estudantil secundarista e universitário na UCSAL, Fora Collor,   a revolta do Buzú, Fora João, Desocupa João, Salve Salvador, dentre tantos outros. Acho que tenho feito uma intervenção social  e nossas contribuições não são apenas no âmbito LGBT e Pensar em um processo eleitoral requer uma base diversificada  e penso!  Que este é um exercício que tem por base a descolonização e “desenvangelizacão” do pensamento, pois  o que a mídia  vende é  a imagem estereotipada do LGBT, no cenário publico, e nós entendemos que a educação de base opressora não forma o cidadão critico!  Mas depois do avanços em alguns debates do Movimento LGBT e de atuações na esfera do poder como do dept. Jean Willis acredito que  o eleitor LGBT  está  de fato mais  motivado a participar mais ativamente deste pleito. É o que  tenho sentido, em nossas atividades de campanha! o eleitor LGBT está mais antenado,  ao debate politico e vem  questionando  os avanços que não vem ocorrendo! E  tem  sentido a necessidade de uma intervenção efetiva e este eleitor encontrou em nossa candidatura todos os elementos para  se fazer representado com altíssimo nível na câmara de vereadores  do Salvador. Em nossa  Jornada temos tido um olhar de reconhecimento de nosso acumulo por vários outros seguimentos os estudantes secundaristas e universitários, o movimento negro e de mulheres, e setores religiosos, de modo que a campanha cresceu muito! E isso é muito bom… Bom! para mostrar a maturidade dos movimentos sociais e  que buscam na pratica a unificação das bandeiras crescer politicam ente uma vez que todos formam a base desse grupo  alijado da construção social de nossa cidade.

Este ano, temos muitos candidatos LGBT lutando por uma vaga na Câmara de Salvador e o GGB escolheu você como candidata do movimento. Você não acredita que esse posicionamento do GGB gera um desconforto com os demais candidatos LGBT’s?
Acredito que quantidade nem sempre  conota  qualidade!  De modo que acho que o GGB uma entidade combativa em defesa dos direitos humanos  e sobretudo o LGBT, tem acompanhado as principais lutas  e enfrentamentos históricos, aqui no brasil, e este exercício diário da militância nos põe cara a cara com quem tem responsabilidade com a luta diária ! Não basta Assumir que é um LGBT em casa e proclamar  ao mundo a sua descoberta, e daí decidir ser um líder da luta se vc nem aomenos conhece a base que dá sustentabilidade se  você não se compromete com às trincheiras da Luta no cotidiano. Quem milita tem que abrir mão do eu e falar e agir sempre com a amplit ude do pensar… Nós o termo nós! congrega  agrega e dar massa e  peso a luta !  Por tanto não precisamos mergulhar nem muito fundo, pense que a escolha tem um respaldo curricular e histórico, de militância a organicidade e caráter ilibado fundamenta a escolha de nossos amigos  e parceiros  com estas mesmas prerrogativas escolhemos os nossos candidatos o GGB é forjado na Militância e na Luta, e dialoga com quem   é signatário deste conceito. No entanto devo dizer que muitas outras organizações vinheram afinar o instrumento juntamente conosco nesta luta de uma forma UNISSONA  os Grupos (Omí Odé-Mov. Negro) Centro de Formação de Cidadãos de Pau da Lima – FSM/Bahia Fórum social mundial Bahia Estudantes LGBT’S da UCSAL/ Assoc.- Capoeira Angola  mestre Sinhá- Grêmio recreativo Louvar-te- GRITTE- Diálogo e Diversidade LGBT/Bahia/ Movimento Arco- íris da diversidade, Coletivo Diferenças que Somam, Coletivo de Mulheres Livres, Companhia de teatro OBÁ.

2 comentários:

Anônimo disse...

legal

Eduardo disse...

Faltou colocar de que partido ela é -- obviamente uma busca rápida no Google informa, mas a matéria ficaria mais completa com esta informação.

Excelente iniciativa do site Dois Terços e, claro, também do Fórum Baiano LGBT em reproduzi-lo aqui. Parabéns!

Postar um comentário