Pages

Banner 468 x 60px

 

segunda-feira, 23 de maio de 2011

Núcleo LGBT do PSDB constrói agenda com parlamentares e lideranças do partido

1 comentários
Militantes tiram foto com a senadora Marisa Fernandes
Em apenas dois dias de atuação na capital federal, o Diversidade Tucana – Núcleo de Diversidade Sexual do PSDB conquistou importantes apoios para o crescimento do grupo e da discussão sobre a cidadania dos LGBTs (lésbicas, gays, bissexuais, travestis e transexuais) internamente no partido.

Na terça-feira (17), representantes do Diversidade Tucana estiveram com o presidente nacional do PSDB, deputado federal Sérgio Guerra (PE), e o secretário-geral do partido, deputado Rodrigo de Castro (MG). Na conversa, ambos firmaram o compromisso com a criação do núcleo em nível nacional, designando o coordenador municipal do Diversidade Tucana em São Paulo, Marcos Fernandes, para liderar este processo, indicando à executiva do partido a estrutura necessária para concretizar a proposta.

No mesmo dia, o líder do partido na Câmara dos Deputados, deputado federal Duarte Nogueira (SP), recebeu o manifesto do núcleo e comprometeu-se a estimular a bancada a debater mais as reivindicações da população LGBT. Em seguida, o líder do partido no Senado Federal, senador Álvaro Dias (PR), firmou o mesmo compromisso para sua bancada e manifestou ser favorável à criminalização da homofobia, demonstrando indignação por ter sido incluído em uma lista elaborada por militantes como sendo um político supostamente homofóbico.

A senadora Marisa Serrano (MS) afirmou sentir grande satisfação com a iniciativa do grupo de ampliar o debate sobre os direitos de LGBTs no PSDB, e comprometeu-se a apoiar o Diversidade Tucana nesta missão. A senadora também manifestou-se favorável à criminalização da homofobia no Brasil.

No dia seguinte, após participar da II Marcha Nacional Contra a Homofobia com grande sucesso, despertando o interesse de grupos militantes em todo o Brasil, os membros do Diversidade Tucana voltaram ao Congresso Nacional, onde foram recebidos pelo senador Aloysio Nunes (SP), o mais votado da história brasileira.

Em seu gabinete, o senador reafirmou seu apoio ao Diversidade Tucana e relembrou de importantes conquistas para a população LGBT dos governos municipal e estadual em que foi secretário, como a criação da CADS (Coordenadoria para Assuntos da Diversidade Sexual), do Conselho Municipal de Atenção à Diversidade Sexual, ao qual deu posse em 2005, e de decreto estadual que incluiu os LGBTs nos programas sociais de moradia, entre outros. Aloysio afirmou ter assinado sua participação na Frente Parlamentar Mista pela Cidadania LGBT e que pedirá esclarecimento sobre o por quê de seu nome não constar nas listas divulgadas.

O deputado federal Vanderlei Macris (SP), recém-eleito vice-presidente estadual do PSDB em São Paulo, também reafirmou seu compromisso com o Diversidade Tucana, colocando seu gabinete à disposição dos objetivos do grupo. Para ele, a mais importante missão do Diversidade Tucana neste momento será municiar e informar os parlamentares do partido acerca dos projetos em discussão no Congresso Nacional que abordam a questão LGBT. O deputado também afirmou estar muito satisfeito com o apoio de seu filho, o deputado estadual Cauê Macris (SP), ao Diversidade Tucana. Cauê esteve presenta à plenária do núcleo durante a Convenção Estadual do PSDB-SP e manifestou sua vontade de ter seu gabinete trabalhando em sintonia com o grupo.

Em longa conversa no gabinete do deputado federal Carlos Sampaio (SP), os representantes do Diversidade Tucana também receberam seu apoio e o compromisso do deputado em atuar firmemente para não deixar que o obscurantismo domine o debate sobre as questões LGBTs na Câmara dos Deputados.

Durante esses dois dias no Congresso Nacional, o Diversidade Tucana constatou a importância de uma atuação mais próxima aos parlamentares por parte dos grupos militantes. “Esse papel já deveria ser exercido pela ABGLT, e claramente não está sendo. As dúvidas que pudemos sanar nesses breves encontros já não deveriam mais existir a esta altura e certamente existem em parlamentares de outros partidos”, diz Wagner Gui Tronolone, um dos membros do Diversidade Tucana na comissão. A opinião foi partilhada por André Pomba: “fica claro que enquanto não se pluripartidarizar as questões LBGTs, e pararmos de ceder ao personalismo de uma única senadora, nossos direitos não serão concretizados”, disse. Para Marcos Fernandes, “a presença do Diversidade Tucana cumpriu um importante papel de informar, municiar e legitimar a atuação dos nossos parlamentares em favor da cidadania LGBT”.
 
Fonte: Diversidade Tucana

1 comentários:

Fabinho disse...

Até que enfim, hein??

Com o avanço das conquistas dos direitos LGBT, os politicos estao "saindo do armário". Tá, sei que é para angariar votos importantes para eles, mas, como disse o grande Deng Xiao Ping, "não importa se o gato é preto ou branco, mas que cace ratos!"

Postar um comentário