Pages

Banner 468 x 60px

 

terça-feira, 28 de junho de 2011

Liberdades religiosas e sexuais não podem se confundir, diz Maria do Rosário

1 comentários

Governo do Estado lança nesta segunda-feira campanha Rio Grande Sem Homofobia

A ministra dos Direitos Humanos, Maria do Rosário (foto acima), defendeu, nesta segunda-feira, um país religioso, mas sem atitudes que fomentem o ódio a homossexuais. Nesta manhã, o governo do Estado lança a campanha Rio Grande Sem Homofobia e o selo Faça do Brasil um Território Livre de Homofobia, no Salão Negrinho do Pastoreio do Palácio Piratini.

— Uma liberdade não pode se confundir com a outra. Fundamentalismos nos preocupam — disse Maria do Rosário, em entrevista à Rádio Gaúcha.

Na solenidade, o governador Tarso Genro assinará o termo que institui a data de 17 de maio como Dia Estadual contra a Homofobia e o decreto que institui o nome social de travestis e homossexuais nos registros públicos do Estado. Ele ainda assinará o decreto convocando a Conferência Estadual LGBT, que ocorrerá em setembro.

— O programa visa atitudes de sensibilização junto à população geral devido à violência gerada por ódio e discriminação a homossexuais — explicou a ministra, que classificou como "jocosa" a tentativa de criação do Dia de Orgulho Heterossexual pela Câmara de Vereadores de São Paulo na semana passada.

Escute a entrevista concedida à Rádio Gaúcha:

A ministra destacou o serviço do Disque 100, que funciona como um número gratuito de telefone para denúncias contra os direitos humanos. Cerca de 300 funcionários trabalham em uma central atendendo a ligações com denúncias contra crianças, homossexuais, idosos e moradores de rua.

— Mesmo que a pessoa não diga o seu nome, vamos por vários caminhos tentar chegar na pessoa que é vítima para tentar auxiliar nesta situação, junto ao Ministério Público, à secretaria de Diretos Humanos local e à polícia — garantiu Maria do Rosário.

Na solenidade realizada nesta manhã, também será apresentada uma proposta de curso de capacitação para funcionários públicos da área da saúde e da segurança, com informações quanto à diversidade e orientação sexual.

Fonte: Rádio Gaúcha e Zero Hora

1 comentários:

Fabinho disse...

Ponto positivo para o governo do RS!!!!!!!!

Postar um comentário