Pages

Banner 468 x 60px

 

segunda-feira, 3 de outubro de 2011

Promotor ironiza gays em documento de caso de homicídio em SP

1 comentários
Após escrever em uma denúncia que um policial civil deveria melhorar sua mira e mandar um ladrão para o inferno, o promotor Rogério Leão Zagallo (foto), cunhou novas expressões polêmicas. Agora, a denúncia de homicídio envolve dois homossexuais.

Conforme o documento assinado por Zagallo, do 5º Tribunal do Júri de São Paulo, a vítima e o réu se conheceram em uma boate frequentada por pessoas "modernas e abertas a novas experiências, sobretudo aquelas ardentes e capazes de ruborizar aos mais indiferentes moais da Ilha de Páscoa". 

O réu é o segurança Fábio Luiz dos Santos, 29. A vítima, o agente de modelos Jefferson Garbeline, 34, o Jeff. A denúncia, aceita pela Justiça, foi feita em abril deste ano e o crime ocorreu em março do ano passado. 

O promotor escreveu ainda que Jeff era um "homossexual cheio de entusiasmo, de ardor e de vivacidade" e que levou o segurança para sua casa porque queria ser "penetrado" por ele.

OUTRO LADO
Procurado anteontem, Zagallo não quis se manifestar. A assessoria de imprensa do Ministério Público informou que o promotor já está sendo investigado pela Corregedoria da instituição.

A investigação começou na semana retrasada, depois de a Folha revelar que o promotor sugeriu para um policial melhorar sua mira para mandar bandido para o inferno. Nesse caso, o policial foi assaltado por dois homens armados e, ao reagir a disparos, matou um dos ladrões.

1 comentários:

Fabinho disse...

Cara, como é que um lixo desse atua como promotor, ridicularizando assim a vítima morta???

Postar um comentário